quinta-feira, 27 de junho de 2013

Breve análise estrutural de meus sonhos


Há pessoas que dizem não se lembrar de seus sonhos.
Eu não sei exatamente o que faz alguém lembrar ou não, mas agradeço a sorte de me lembrar  praticamente toda manhã de ao menos um dos sonhos que tive na noite anterior. Meus sonhos são em geral muito nítidos, e ainda que seus enredos sejam sempre insólitos, absurdos e fantásticos, são coerentes em si mesmos – por isso escolhi para ilustrar essa postagem o quadro Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã um segundo antes de acordar, de Salvador Dalí (1904-1989), achei que caía como uma luva. O mais bizarro talvez seja ainda o fato de que em grande parte das vezes eu saber que estou sonhando, eu até consigo interferir na narrativa, conscientemente, inclusive, para estendê-la quando a aventura (pois quase sempre são longas aventuras) está de meu agrado ou interrompê-lo quando já tive a dose de medo daquela noite.
Resolvi escrever um pouquinho sobre meus sonhos, pois percebi esta manhã que a estrutura narrativa deles está ficando, a cada dia, mais elaborada, e como no Cérebro não há espaço para tanta maluquice, o jeito foi vir para o Cérebro-Casa. Eu explico: já há tempos sonho muito mais em terceira pessoa do que em primeira (até aí, é razoavelmente normal, já li que minha geração tem essa tendência por ver muitos filmes e por causa de videogames.) para quem não sabe: sonhar em primeira pessoa é quando você vê o sonho a partir dos olhos do protagonista (que, em sonhos, não é sempre necessariamente a mesma pessoa que você é na vida, estou certo? Ao menos, eu nem sempre sou eu); já sonhar em terceira pessoa é quando você vê a personagem principal de cima, com certo recuo, como um “olho fora do corpo” (ela pode ser você ou não, no meu caso, geralmente sou eu), ou melhor, como a câmera de um filme ou como em videogames. Normalmente, esse “olho” está acima e um pouco recuado de modo a conseguir ver a cabeça da personagem e o que está ao redor dela. Parece maluco, mas muita gente sonha assim, sobretudo, pessoas mais jovens (pelos motivos que falei acima). Ainda que eu, particularmente, não seja fã de videogame, creio que sonhe assim por causa dos filmes...
Mas enfim, o que notei esta manhã é que de uns tempos para cá tenho tido sonhos nos quais há outro tipo de alteração de foco narrativo, também como em um filme ou livro. Não apenas eu vejo o sonho com um olhar em terceira pessoa, mas também passei a ver o que ocorre em outros lugares do sonho, com a consciência de que são outros lugares e de que eu (ou a personagem que acompanho) ainda estou no mesmo lugar. Se antes eu tinha uma espécie de onisciência seletiva colada a um só olhar, agora tenho tido experiência com a onisciência múltipla, verificando várias subtramas ao mesmo tempo, ainda que eu saiba todo o tempo quem sou eu e onde estou, sempre acompanhando um protagonista.
Vou dar um exemplo, no sonho desta noite, eu estava em uma cena X investigando algo (os detalhes do enredo me fogem, pois me concentrei em guardar a estrutura), daí houve um corte e eu vi em terceira pessoa o que faziam outras personagens de meu sonho, particularmente, o criminoso que eu estava investigando. Eu o vi do mesmo modo que me via na cena anterior, em terceira pessoa, mas sabia que não era eu ali, eu estava apenas o observando e não podia controlar suas ações, nem saber o que ele pensava, como acontece com o eu-protagonista; foi como um flashback ou um insight de minha própria personagem e quando voltei a minha cena, eu agi a partir daquele conhecimento novo, isto é, a partir da cena que o eu-narrador acompanhara o eu-personagem arquitetou seu plano... Bizarro, não?

O mais legal é lembrar bem de tudo isso, com detalhes, embora a trama em si já tenha sumido um pouco... Não sei dizer se o criminoso foi preso, apesar de muita vezes meus sonhos terem finais e eu acordar em seguida, como se a história de fato tivesse acabado... Muitos de meus sonhos eu já transformei em textos e contos (alguns publicados) e alguns eu ainda estou digerindo para ver se consigo pôr no papel. Hoje a história não era tão boa, mas pirei na estrutura...
Não sei se isso tudo que escrevi interessa a mais alguém se não a mim mesmo. Mas não tem problema, pois eu me divirto sozinho com meus sonhos!

3 comentários:

  1. Meus sonhos também são curiosos e na maioria não os lembro mais fico com receio de esquecer alguns. Também anoto alguns Bom blog Boa ideia ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre tento anotar meus sonhos, pois são muitos malucos. Vários deles transformei em contos, alguns deles publicados.

      Obrigado pela visita, Lucas =D
      Volte sempre,
      Um abraço!

      Excluir
  2. Cara '-' parece uma descrição de mim. Meus sonhos tbm são na maioria, em 3° pessoa, são bem elaborados e realistas, e sempre me lembro bem deles. Cada sonhos que parecia um filme, de vdd, parecem filmes, com uma história nada aleatória.

    ResponderExcluir